Recebo muitos emails de vocês e tenho notado que em meio às dificuldades que me relatam está a ansiedade e a vontade de comer doces, assim como a compulsão. Por isso vim hoje falar que sei bem como se sentem e como eu lidei/lido com isso.

1

Eu fui uma pessoa ansiosa e compulsiva por boa parte da minha vida, chegando a ter gastrite nervosa e taquicardia. Na adolescência tive anorexia e bulimia onde eu ficava dias sem comer, depois acabava comendo muito de uma vez só e logo depois vomitava ou tomava laxantes. Tudo isso machucava demais meu corpo e principalmente minha psique. Meus pais me levaram a vários médicos e muitos diziam que eu estava querendo chamar atenção, menos uma endócrino da qual gostei bastante.

Essa médica conversou com meus pais para tentar entender o que estava acontecendo comigo e também questionou a mim porque eu agia daquela forma. No fim chegamos a conclusão de que era fazendo longos períodos de jejum, comendo muito e vomitando que eu estava tentando lidar com meus problemas em casa e conflitos internos. Resumindo: Pirei. Estava querendo resolver um problema com outro problema.

Eu sempre tive uma tendência auto destrutiva, onde eu sentia prazer em sentir que estava me acabando. Fui criada aprendendo que sofrer faz parte e que há mérito nisso, e por isso agi assim por tanto tempo. Hoje vejo que temos que fazer as coisas com leveza e levar em conta o que queremos de verdade, e não o que nos impõem.

Assim comecei a ser tratada com vitaminas para tratar minha anemia e um remédio chamado fluoxetina que, segundo a médica, tiraria minha vontade de comer doces, diminuiria minha ansiedade e controlaria as compulsões alimentares.

No começo eu jogava o remédio fora pois achava que era um plano maligno dela para me engordar (pois é), mas depois que soube que algumas amigas tomavam para conseguir seguir suas dietas de forma mais tranquila decidi testar.

Realmente as compulsões diminuíram consideravelmente, eu parei de ter vontade de me entupir de doces do nada e fiquei menos ansiosa e inconsequente. Não sei explicar os efeitos químicos, mas os práticos sim: Deu certo.

2

Tomei a sibutramina por 1 ano e nesse período ela me ajudou bastante. Hoje em dia eu me controlo conversando comigo mesma e quando fico ansiosa respiro fundo, conto até 10 e lembro que tudo passa, mas indico a fluoxetina para quem tem mais dificuldade. Ela realmente diminui a vontade de comer doces e a ansiedade e conheço várias pessoas que estão tomando e conseguindo seguir suas dietas de forma mais tranquila.

O ideal é que você procure um nutricionista ou endocrinologista e comente sobre a fluoxetina. É legal pesquisar bastante e ouvir a experiência de outras pessoas para argumentar com o médico que talvez seja uma boa pra você. Se ele te prescrever fique tranquila, o preço varia de R$ 7 a R$ 25 reais a caixa com 28 comprimidos, que pode ser comprada na farmácia comum ou feita em farmácias de manipulação. Eu tomava a de 20 mg todos os dias às 10h.

Procure um médico e fale sobre a fluoxetina antes de tomar, pois como todo medicamento ela tem efeitos colaterais e não pode ser tomada por períodos longos de tempo.

ACREDITO que é possível emagrecer sem remédios e controlar a ansiedade e todo nosso descontrole mental com meditação e conversando com nós mesmo. O objetivo do post é contar minha experiência com a fluoxetina e expor essa opção para as pessoas que sentem que precisam de uma ” mãozinha ” para entrar na linha.