Hoje dia 02 de Abril é o dia Mundial da Conscientização do Autismo. Como alguns já sabem convivo com o tema de perto pois meu irmão mais novo tem a Síndrome de Asperger, um tipo de autismo com hiperatividade.

Ele sempre foi atrasado quanto ao desenvolvimento e começou a falar bem tarde, além disso só falava comigo. Tinha dificuldades em dizer o que sentia e entender o que os outros sentem. Demoramos a começar algum tipo de tratamento pois desconhecíamos sobre o assunto. Somente após várias consultas á neurologistas e psiquiatras ( algumas proveitosas, outras nem tanto ) descobrimos que seria bom que ele tivesse o acompanhamento de uma psicóloga e fizesse terapia cognitiva comportamental. Também tivemos que começar uma medicação para tratar a insônia, a agressividade e o déficit de atenção. O fígado sentiu mas buscamos compensar com uma alimentação mais saudável e exercícios físicos. O resultado foi lento mas hoje após mais de 10 anos de tratamento ele interage bem com as pessoas e fala bastante, está até na faculdade!

Foi muito difícil para a família entender a síndrome. Boa parte dos familiares vem do Nordeste onde antigamente ou a pessoa era ” normal ” ou era ” louca “. Achavam que ele jamais teria uma vida normal, jamais faria faculdade e dependeria dos demais para sempre. Alguns chamavam-o de ” louco “, ” maluco ” e ” estranho ” sempre que ele se fechava em si mesmo ou tinha crises de agressividade. Ele sofria demais com isso, vinha sempre chorando me perguntar por que ele era maluco. E ele não era e não é, hoje ele sabe disso. De tanto eu e os psiquiatras falarmos hoje ele entende que é especial de uma forma mais especial que as demais pessoas, afinal todos somos únicos e especiais.

Hoje fazemos tudo juntos e com isso ele continua avançando e conquistando pequenas vitórias todos os dias. Já sabe falar ” Por Favor ” e “Obrigado ” para estranhos, usar o cartão de débito e decorar a localização dos lugares que vamos sempre. Hoje ele também usa o transporte público sozinho e o preparei para algumas situações que de vez em quando passamos, como levantar para um idoso ou grávida, o que fazer se passar do ponto, etc. Ele treme muito por conta dos remédios e também engordou bastante depois que as doses foram reajustadas, por isso busco sempre fazer caminhadas longas com ele onde pergunto detalhes do seu dia.

Não trocaria meu irmão por nenhuma pessoa ” normal “. Tenho amigas que não suportam seus irmãos e ” babam ” na relação que tenho com meu irmão, visto que somos realmente bons amigos. Vejo que algumas pessoas o olham torto e muitas vezes sofro com isso mas ele mesmo me acalma dizendo que não se importa de ser diferente, que já se acostumou. Na escola eu o defendia das outras crianças e sempre acabava na coordenação com um bilhetinho para casa. Hoje estamos em instituições de ensino diferentes e quando algo acontece e ele fica magoado eu fico também mas o defendo ensinando-o a melhor forma de agir de acordo com cada situação.

Fiquei muito feliz quando soube que hoje era dia Mundial da Conscientização do Autismo. Acredito que quanto mais informações forem difundida menos preconceito existirá e mais as pessoas serão diagnosticadas cedo e poderão começar a tratar e melhorar suas limitações.

Um autista tem muito amor pra dar, muitas lições para ensinar. Meu irmão ainda não entende alguns sentimentos mas ao mesmo tempo me faz pensar sobre eles. Toda vez que ele me pergunta por que eu estou sentindo o que estou sentindo eu penso sobre isso. Ás vezes estou morrendo por nada e percebo isso, ás vezes estou me preocupando sem motivo, me frustrando sem razão. Ele me fez perceber essas coisas em vários momentos e sou muito grata por sempre ajudarmos um ao outro. Ajudem a divulgar esse dia tão importante! Se ajudarmos pelo menos 1 pessoa a entender o que seu parente pode ter já estaremos fazendo muito!