Conteúdo em itálico: Aquela voz que você sabe bem de onde vem.

Jen Davis

A vida não é fácil pra quem é gordo. Coxas sarrando, muito suor, desconforto, dobrinhas que precisam de talco e muita paciência pra vestir um sutiã ou, se for menino, ajeitar as bolas na cueca. Mas ok, você decide que vai procurar ajuda e, depois de tentar desde a dieta da lua até a dieta do sapo, vai tentar ir a um nutricionista.

A consulta é cara, ô se é. Mas você podia estar gastando com um rodízio de massas com refil e sobremesa, então investir a grana em você já é uma vitória.

Aí você vai. Até curte a médica. Ela se importa com você e faz várias perguntas sobre seus gostos e desgostos. Ali você se toca de que não gosta de coisas que nem sequer provou, apenas não simpatizou. Só falta abacate ter signo, e esse ser logo aquele que não bate com o seu ascendente. Ô vida.

Agora você fica meio que quase pelada. Ô vergonha, é banha pra todo lado. Aí é a parte do mede aqui, passa a fita ali e finalmente você sobe na balança. Merda, não teve coragem nem de olhar, muito menos de perguntar. Mas a médica é sagaz e logo fala ” É, você está obesa… “. Ah, não diga doutora, nem imaginava.

Vem a hora do plano alimentar e a médica te explica a tortura… ops, a dieta. Comer de 3 em 3 horas, verduras e legumes nas principais refeições, nada de refri, doces, frituras e NADA DE ARROZ BRANCO. Nessa hora é óbvio que você está psicologicamente desmaiada na cadeira e querendo muito sair dali e entrar no Burger King – afinal lá você é rainha e numa monarquia ninguém manda você comer a salada antes do bife -, mas sigamos.

Antes de imprimir tudo e notando sua nada disfarçada cara de desespero, a médica solta um ” Não existe milagre, mas seguindo e persistindo você vai conseguir emagrecer e ter saúde”.

Milagre, emagrecer e saúde na mesma frase. QUERO.

Ops, xô ler de novo….

Ah tá, aff.

Você sai de lá pensando na despedida, ÓBVIO. Nem decidiu ainda se vai mesmo começar isso tudo amanhã, mas já decidiu qual molho vai pedir no seu sanduba de 30 cm do Subway.

Come como quem acabou de receber a notícia de que tem apenas 1h de vida, e não como quem acabou de sair de um nutricionista.

Ah, sem culpa dessa vez. É uma despedida pô, vai ficar sem fazer isso mó tempão.

Será?

Chega em casa parecendo que vai explodir. Era melhor ter pedido pra não duplicar o queijo… mas ok. A galera vai te encontrar na cozinha e sai logo perguntando como foi a consulta.

É claro que eles não imaginam que você acabou de consumir mil calorias. Claro que não. Não acreditam que você vai conseguir emagrecer nem você mentindo que NUNCA come besteira na rua, quanto mais se falar a verdade.

Você fala que a consulta foi bem. Mostra a dieta e pronto: SE ABAIXA QUE LÁ VEM TIRO!

PÁPÁPÁPÁPÁ AH MAS EU JÁ TE FALEI QUE SUA PRIMA FEZ A DIETA DA LUANA PIOVANI E PERDEU 10 QUILOS EM 10 DIAS!

TÁTÁTÁTÁTÁ AH MAS EU JÁ TE DISSE QUE PODE COMER DE TUDO BASTA QUEIMAR MAIS DO QUE CONSUMIR! QUE BESTEIRA GASTAR DINHEIRO COM ISSO!

POWPOWPOWPOWPOW AH MAS ISSO AQUI É DIETA DE RICO, COME SÓ ARROZ, FEIJÃO E BIFE QUE EM 1 MÊS VOCÊ TÁ FILÉ!

TRÁTRÁTRÁTRÁTRÁ AH MAS COMENDO FRANGO COM BATATA DOCE ATÉ EU!

Cessado o tiroteio você quer mandar todo mundo à merda, mas é educada. Na verdade só tem medo de represálias, concorda com tudo e some dali.

É engraçado como todo mundo tem opinião pra tudo, agora querer levantar as mangas e te ajudar a seguir uma opinião PERTINENTE ninguém quer né.

Na hora que você decide fazer uma dieta orientada todo mundo parece que acabou de se formar em medicina. Agora todos são nutricionistas, treinadores físicos e cirurgiões plásticos. Você mal começou a emagrecer e já estão falando quão cara vai ser a sua abdominoplastia, pois é óbvio que você vai ficar pelancuda.

Nem olham pra você direito, não sabem nada das suas peles, estrias, barriga, vontades, tristezas. Mas sabem que você vai ficar pelancuda, aliás, tem absoluta certeza. Além de médicos são videntes agora.

Sabem que dieta você deve fazer. Sabem como você deve se portar, que roupa deve usar, com quem deve se casar. Você nem quer,  mas para eles a sua opinião pouco importa na definição do roteiro da sua vida.

Não sabem o quanto você chora no banheiro por ter que levantar uma banha mole pra poder lavar sua virilha. Não sabem o quanto você já se prometeu não comer um pacote todo seja do que for, mas comia um, dois, três. Vomitava às vezes e falava que ia ficar dias sem comer pra compensar. Apertava seu corpo com vontade de pegar uma tesoura e resolver aquilo naquela hora. Se perguntava se não teria pílula, remédio, vidente ou macumba que te livrasse de tudo aquilo.

Meu Deus, por que você nasceu assim? Por que tinha que ser logo essa a sua dificuldade, o seu carma?

Não são eles que tem esse câncer. Essa coisa que vai te destruindo aos poucos. Te apodrecendo, te deformando, te deixando doente. Não são eles que tem esse vício de comer e comer e de viver pra comer e querer emagrecer pra comer mais e mais e mais e merda… você nunca fica satisfeita e a culpa não é suficientemente dolorosa pra fazer você nunca mais ter uma compulsão.

Você só quer sair dali. Você só quer sair de si.

Chega dessa merda. Sua vida gira em torno de comer e de querer emagrecer. Você já tentou antes mas a vontade de comer é mais forte que a vontade de sair dessa situação.

Você vai dormir sentindo que desistiu. Foda-se. Ninguém te apoia de verdade, ninguém se importa com suas dificuldades e você não se importa o suficiente pra fazer algo pra resolver tudo isso.

Você desliga a luz.

[…]

Jen Davis

São bombas, muitas delas. Elas explodem e depois vem uma ventania, um frio e um assobio agudo. Agora é um nervoso, parece que você está agonizando numa piscina de banha. É nojento, amarelo e frio. Você tenta se levantar mas quanto mais se esforça mais se lambuza e mais cansada fica. Num momento você cai e não consegue mais levantar. Vem a dor. Uma dor que sobe das pernas pro quadril. Agora cintura e vai subindo, vai chegando no peito e você vai se desesperando quando…

Você acorda.

Merda. Taquicardia, suor, lençol grudando nos braços e a cama funda no meio, bem onde você fica. Falta de ar. A camisola parece um saco, e dentro desse saco tem um monstro. Cheio de riscos, de manchas, de peles penduradas. Quem é isso? Que é isso?

Por que?

Todas as bombas, todo nervoso e toda gordura estão dentro de você.

A realidade consegue ser pior do que o pesadelo.

Você levanta e olha pela janela. Qual será a sua salvação? Talvez a morte? E se for não seria melhor comer logo tudo que quisesse pra morrer feliz?

Comeu tudo que quis até hoje e por isso ficou desse jeito. Se você come muito pra ser feliz falta muito ainda, e pelo visto até lá seu corpo não terá aguentado.

Você só tem duas opções. Ou tenta a dieta, que pode ou não dar certo, ou você continua seguindo essa vida de vergonha, auto destruição e mentiras, que você já sabe que não dá certo.

A dieta pode dar resultado. Continuar do jeito que está dará também, você vai morrer doente e frustrada. Parabéns adiantado pela façanha.

Aff, você está se machucando de novo. É só isso que sabe fazer? Comer e falar coisas pra se machucar? Você vale tão pouco que não merece nem a própria consideração?

Tá, calma.

Para.

Duas opções, uma escolha. Não dá pra fazer os dois. Ok.

Tá mal assim, não dá pra negar. Você se odeia com todas as forças, mas tenta mascarar isso com um batom aos sábados. Mas a vida não é feita só de sábados. Tem os domingos. Domingo tem almoço em família. Mas espera, a escolha.

Não vale a pena continuar se odiando. Nem ficar repetindo ” preciso me amar em primeiro lugar ” porque não tá adiantando. Melhor agir.

E se você tentar? O máximo que pode acontecer é você jacar, chorar, vomitar, se cortar, ter pesadelos e aí decidir que tentará de novo.

É, parece melhor do que só chorar, mentir e gastar 70% do seu salário com gordura saturada e com os twix da promoção da fila das Lojas Americanas.

Você vai tentar.

E volta a dormir.

[…]

Dia seguinte. Erra a hora, esquece do café, não tinha cenoura pro almoço, esquece do lanche, come um biscoito escondido, chora, janta certinho, dorme e tem pesadelos. Se odeia, não vai conseguir.

Dia seguinte. Deu certo o negócio da hora, tomou o tal café com frutas e proteína. Fez caminhada. Comeu alface e carne no almoço, esqueceu a cenoura, esqueceu o lanche, esqueceu o jantar, mas não esqueceu de comer pão com margarina na madrugada. Chora e vomita. Você obviamente não vai conseguir.

Semana seguinte. Pelo menos tá conseguindo cumprir o café e o almoço. Entrou para a academia. Esquece de um dos lanches, mas já faz o outro e respeita a janta. Come besteiras 4x na semana. Chora menos. Você é uma inútil, por enquanto é só sorte.

Semana seguinte. Sente-se melhor e a taquicardia sumiu. Respeita os horários, as refeições, faz todos os lanches. Começa a andar 3x por semana e a malhar na academia. Jacou o final de semana todo. Pôs tudo a perder. Chorou e vomitou. Se cortou, se odiou, pensou em se matar mas não tinha gilete em casa. Leu um romance qualquer, quis aquela vida pra si. Ficou sem dormir, cheia de olheiras e se odiando.

Semana seguinte. Pele e cabelo lindos, energia a mil. Ah, que bom! Respeita tudo, corre 8 km pela manhã mas a caminho da nutricionista come 12 pães de queijo com açaí no Rei do Mate. Ah, você é MUITO inútil. É uma vaca, porca, imbecil, um lixo humano e… O médico te chama.

Sim, não, sim, mais ou menos, sim, sim. Mede aqui, fita ali e balança.

COMO ASSIM??????????????? COMO VOCÊ PODE TER PERDIDO PESO? COMO ASSIM MEDIDAS DIMINUÍRAM? COMO ASSIM BONS RESULTADOS? HÃ? VOCÊ?

Parabéns“, diz a médica.

E você em transe.

Menos 5 quilos. Como? Mas e as besteiras que comeu? E o final de semana jogado no lixo? E os pães de queijo?

” É normal que no começo seja difícil. É assim com todo mundo. Esse mês foi mais uma adaptação, mas não se culpe por não conseguir se livrar de todos os velhos hábitos.”

E SÓ 5 QUILOS? FALTAM MIL! SUA PORC…

“É uma desconstrução de tudo que fazia antes e uma construção de práticas mais saudáveis. Você está conseguindo. Você vai conseguir.”

Você está conseguindo.
Você vai conseguir.

” Entendo que tenha comido coisas fora, mas veja: Mesmo assim você perdeu peso e diminuiu medidas. Imagine se seguisse certinho o que lhe orientei?”

Você,
Vai,
Conseguir,
Você,
Já,
Está,
Conseguindo.

” Eu sei que quando estamos conseguindo, algo acontece e nos tira do rumo. É como uma voz na nossa cabeça que diz que não somos capazes. ”

VOCÊ NÃO É CAPAZ VOCÊ NUNCA FEZ NADA DE ÚTIL NÃO SERÁ AGORA QUE SERÁ DIFEREN…

” Você está conseguindo. Você vai emagrecer e ter saúde de novo. Acredite em você, sua perda de peso é a prova de que você consegue, de que está conseguindo.”

Meu-Deus.

Acredite em você.

MEU DEUS.

Sua perda de peso é a prova.

M-e-u-D-e-u-s.

De que está conseguindo.

[…]

Jen Davis

Você? Conseguir? Você nunca vai conseguir, você é uma inútil, lixo humano! Sua vaca, sua porca!

Talvez você não seja uma vaca. Talvez você não seja uma porca.

Você? Conseguir? Você nunca vai conseguir, você é uma inútil, lixo humano!

Talvez você não seja uma inútil, talvez você não seja um lixo humano.

Você? Conseguir? Você nunca vai conseguir!

Talvez você consiga.

Você? Conseguir?

Você já está conseguindo.

Você…

Sh…

Shh…

Você vai conseguir.

Nós vamos.

Separador

As partes em itálico destacam o discurso destrutivo que costumamos ter, nos desprezando, duvidando da nossa capacidade e nos depreciando.

Não façamos isso. Eu sei que esses pensamentos vem numa onda mortal, que varre de nós toda esperança e fé em nós mesmos, mas precisamos ser mais fortes. Nossa vontade de melhorar por nós mesmos deve ser maior que a dúvida se vamos conseguir ou não.

Só por pesquisar sobre, já estamos conseguindo.

Só por tentar, já estamos conseguindo.

A cada refeição correta, a cada ida a academia, a cada tentação vencida, estamos conseguindo.

Pois emagrecer é a arte de ser forte, resistir ás tentações e repetir tudo isso no dia seguinte.

E de novo. E de novo.

E um dia você vai acordar sem alças nas costas, sem precisar passar vaselina entre as coxas e respirando fundo e bem. Um dia você vai ter a sua saúde de volta e um corpo que você vai olhar e gostar.

Um dia você vai se olhar no espelho e ver que você conseguiu.

Eu prometo.

Você já está conseguindo.

Você vai conseguir.

Nós vamos.

Fotografia: Jen Davis Photo