Essa frase do título foi uma fala que ouvi de uma mãe. Ela comentou em um dos meus vídeos do youtube pedindo ajuda, pois a filha tem apenas 16 anos e está muito acima do peso. Ela disse que tentava conversar com a menina e explicar que para ter saúde ela precisava fazer escolhas saudáveis, mas as duas sempre acabavam brigando.

Todos já tivemos 16 anos, temos ou teremos. Eu já tive 16 anos e nessa época eu já era gorda, não obesa, apenas gorda. Uma gorda acomodada, orgulhosa e egoísta. Sim, essa era eu.

Lembro que por vezes eu estava na ponta da mesa em um almoço de domingo me afogando numa montanha de macarrão quando notava que meus pais me olhavam. Eu ficava com raiva, levantava e ia comer no quarto, ou por vezes parava de comer e ficava sem comer o resto do dia apenas por vingança.

Eu odiava que comentassem sobre meu peso, sobre o que eu comia ou sobre minha aparência. Para mim o mundo estava sempre contra mim e eu tinha o controle sobre meu corpo, eu estava gorda porque queria e a hora que eu quisesse eu poderia mudar essa situação.

Ledo engano.

Bárbara Cavalcante

Quando não ouvimos as pessoas ao nosso redor viramos seres alienados por nossas próprias razões e auto afirmações. Eu me achava acima do bem e do mal e para mim a qualquer hora eu estalaria os dedos e tudo estaria resolvido, eu estaria magra e pronto. É ÓBVIO que eu não ficaria doente, isso é coisa que aparece na TV. É ÓBVIO que eu não ficaria imensa e cheia de estrias como eles falavam, eu não chegaria a esse ponto. É ÓBVIO que eu não morreria por isso, .

Com 22 fiquei doente, estava obesa e com o corpo cheio de marcas, estrias, escoriações e assaduras. Estava morrendo e absolutamente reclusa e depressiva. Não dormia direito porque não conseguia me virar na cama, não conseguia me limpar no banheiro, não conseguia lavar todas as partes do corpo no banho.

Meus pais tinham razão.

Eu estava errada.

Sabe quando eles me olhavam na mesa e eu saia emburrada? Minha mãe começava a chorar e meu pai questionava o que poderiam fazer para me ajudar.

Sabe quando comentavam sobre meu peso e sobre minha aparência tentando me explicar o que era melhor pra mim? Eles foram a 3 médicos para pedir orientação de como conversar comigo, de como me convencer de que eu precisava me cuidar.

Sabe quando ele disseram que eu ficaria doente por conta da gordura? Era um aviso, não uma suposição. A gordura É RUIM, ser gorda É PERIGOSO, obesidade MATA e eu sou a prova disso, pois quase perdi minha vida por conta de montanhas e mais montanhas de macarrão.

Será que eu valia tão pouco? Será que você vale tão pouco a ponto de jogar sua vida fora por conta de… comida? ALIÁS, COMIDA NÃO. Porque todo mundo come e nem todo mundo está como você. Mas será que vale a pena jogar todo o seu futuro pro alto por conta do seu descontrole?

Você não sabe lidar com a comida. Assuma isso.

Ouça seus pais.

E pais, tenham paciência com seus filhos.

Infelizmente na maioria das vezes nós só aprendemos pela dor, e não pelo amor.

Tentem de tudo e mais um pouco, para que possam ter isso como respaldo caso nada dê resultado. Façam o que puderem, mas não morram por isso. Seus filhos precisarão de vocês quando a dor chegar. E quando isso acontecer não precisam dizer ” eu te disse “, seus filhos saberão.

Infelizmente cada um tem sua hora de acordar pra vida. Eu tive a minha enquanto ouvia um diagnóstico crítico, enquanto ouvia minha mãe gritar meu nome pelo corredor do hospital tentando descobrir em qual box eu estava. Um sorvete de casquinha foi a última gota que fez meu balde transbordar e quase me levou para a mesa de cirurgia.

Não foram os quilos de lasanha, as toneladas de sangados, as tortas ou biscoitos. Foi um sorvete de casquinha.

Deus me deu uma segunda chance. Eu me dei uma segunda chance.

Eu poderia ter feito redução de estômago, mas não quis. Se eu tinha criado aquela situação agora eu iria resolver. Viver de suplementos, vitaminas e restrições não era uma opção. Eu criei o problema, agora eu vou resolver.

Assim 30 kg se foram e eu continuo aqui correndo atrás dos meus sonhos numa esteira de academia enquanto chove lá fora e meus cachorros me esperam em casa.

E eu estou onde quero estar, fazendo o que quero fazer e buscando um resultado que desejo mais que tudo.

Eu quero isso de verdade. Por mim, pela minha família, pelo mundo e para o mundo. Quero mostrar que se eu consigo qualquer um consegue. Quero mostrar que não é fácil mas que é possível. Quero provar pro mundo que todos podem SIM resolver o problema de uma vida em um ano, como é minha meta resolver. Tudo está a meu favor, não tenho nada a perder com tudo isso. Nada.

Filhos, ouçam seus pais.

Pais, ouçam seus filhos.

Ouçam e por favor, perdoe-os. Eles não sabem o que fazem. Eles respondem e magoam, eles se acham acima do bem e do mal e acham que nada nunca acontecerá com eles. Tente entender, são apenas jovens. Vocês já foram jovens um dia e também achavam que nada de mal aconteceria com vocês, porém hoje sabem que não são invencíveis, que o tempo chega para todos e com ele o corpo cobra. E cobra caro.

Vai dar tudo certo no final. Em algum momento seu filho vai acordar e lembrar de tudo que você o orientou. Pode ser que ele não tenha forças para resolver o problema e pereça dele, mas entenda que você fez a sua parte.

E você filho, tenha forças para resolver o problema que você criou. E criando forças para lutar ou preferindo perecer dele, ao menos levante a cabeça e olhe para seus pais. Os cabelos, os olhos cansados, as mãos gastas de todo tempo e esforço no qual lutaram por eles e por ti. Olhe fundo em seus olhos, abra a guarda, abaixe as armas, respire fundo e diga apenas:

Obrigado.