O ruim de ser consciente demais é que você pensa muito antes de fazer as coisas e acaba não fazendo nada. Você pensa nos prós, nos contras e acaba não chegando a um equilíbrio. Você pensa demais no futuro. Você fica séria demais.

O tempo te deixa mais séria que a idade. A maioria acha que uma pessoa séria tem mais de 30 anos mas o tempo te faz ” séria ” com menos de 25. Tudo depende das experiências pelas quais você passa.

Você pensa que algo que dá mais trabalho agora será mais ” fácil ” de lidar no futuro e algo que é mais ” simples ” agora vai deixar a desejar lá na frente. Você sabe que não será jovem pra sempre e que o que te basta hoje não bastará daqui há 10, 20 anos. Você sabe que ter uma profissão baseada na sua beleza não é algo seguro pois um dia você vai envelhecer. Além disso os interesses das pessoas mudam e pode ser que um dia você simplesmente não seja mais interessante.

O problema é que pessoas que cresceram e fizeram sucesso não pensam assim. Com 20 anos elas não pensaram que era melhor não arriscar na carreira de atriz pois um dia iriam envelhecer, que não valeria a pena ser empresário pois quando tivesse filhos não iria querer trabalhar aos finais de semana. As pessoas simplesmente vão lidando com essas coisas conforme elas vão aparecendo.

Acho que o problema é a preocupação.

(latim praeoccupatio, -onis, ocupação prévia)

substantivo feminino

1. Estado de um espírito ocupado por uma ideia fixa a ponto de não prestar atenção a nada mais.
2. Inquietação.
3. Desassossego.
4. Pressentimento triste.

Por que essa inquietação é ao mesmo tempo boa e ruim? Porque me prepara para o que pode vir acontecer, porque me faz planejar o presente para que algo não me preocupe no futuro.  A pior coisa do mundo é ser pega desprevenida em uma situação de fragilidade. Porém essa inquietação também pode ser traduzida no medo de nada dar certo, e o medo paralisa mais que uma cadeira de rodas.

Por que as pessoas que não se preocupam hoje e vivem seus sonhos sem medo do amanhã tem sucesso e conseguem lidar bem com as dificuldades que vão aparecendo? E será que se elas tivessem pensado nessas dificuldades antes teriam sequer apostado naquele sonho?

O problema é pensar demais e agir de menos. Ficar em dúvida entre 2 ou mais objetivos e não apostar em nenhum, não trabalhar por nenhum. Assim a vida não anda, você se ocupa demais em pensar e fica travada.

O caso é que eu tenho uma história de altos e baixos. Nesse 8 anos de comércio  ( sou empresária desde os 14 anos ) ganhei muito dinheiro em uma época e pouco em outras. Isso é normal, todo empresário já passou por isso alguma vez ou vai passar. A economia é instável, as pessoas são instáveis, mudamos nossos interesses em minutos. A diferença entre o meu caso e dos demais empresários é que eu nunca me preocupei em poupar.

Acho que comecei com tudo isso nova demais. Foi bom por um lado pois eu aprendi muito cedo coisas que pessoas aprendem com 40 anos. Mas o ruim é que se eu tivesse hoje as oportunidades de antes agiria de forma diferente e provavelmente as coisas dariam mais certo. Mas só e apenas por que as experiências ruins de antes me ensinaram como agir.

No fim, tudo aconteceu no tempo certo.

Felizmente hoje eu não gosto só de ser empresária. Gosto de outras coisas também. Na verdade sempre gostei dessas coisas, como escrever e discursar, mas não apostava muito nelas.

Não dá mais para trabalhar com comércio, ponto. Eu estou afirmando isso pra vocês, não estou cogitando. Não quero mais, descobri que isso me cansa mais do que me satisfaz. Eu sou feroz, quero sempre um novo desafio e gosto do cheiro do dinheiro, mas tudo isso passa e ao menos no comércio vivemos de fases e muitas dessas fases são MUITO longas. Quando é uma boa fase você ganha bem e tudo dá certo, mas quando essa fase é ruim e você não tem uma boa poupança você quebra, acaba se endividando e colocando tudo a perder. Acontece que o dinheiro que você ganha nas fases boas você tem que guardar para bancar a empresa na fase ruim. No final você não enriquece nem tem sossego.

Cansei de ficar preocupada, por isso cansei do comércio. Não tenho mais 14 anos, não tenho mais energia pra isso. Não quero mais tantos riscos, quero paz. Quero desafios que façam sentido, quero dinheiro todo mês, preciso cuidar de mim, dos meus cães e dar segurança á minha família.

Não disse que quero comodidade. Quero segurança.

E seu eu ficar doente e não tiver plano de saúde? E se eu quiser me aposentar pra não fazer mais nada da vida, como farei isso sem uma aposentadoria digna? 

E pensar que com 16 anos eu escrevia um blog onde minha maior preocupação eram as brigas com o namorado. Bons tempos quando na verdade eu não precisava me preocupar com nada sério! Hoje tem cachorro vomitando, contas, cabelo rebelde, carro, faculdade, concurso, OAB…

Depois de passar dias e noites pensando eu voltei para onde estava. Achava que tinha tomado a decisão de continuar o caminho que tinha começado. “Achava ” porque na maioria das vezes depois de uma má noite de sono muita coisa muda. Você é decidida até deitar pra dormir e ficar só você, sua cama e o teto. Aí começa a achar que talvez aquela não seja a melhor decisão.

Mas no meu caso não será assim. Dormi e acordei com a mesma vontade, que é a que estou agora. Continuarei estudando e buscando pelos meus sonhos, cada um ao seu lugar e os dois com a mesma importância. O que der certo primeiro MELHOR! 😀

Já fiz um post sobre plano B antes falando sobre a importância de uma BASE, de um litoral calmo dentre um oceano turbulento. Eu já estou nesse caminho, só desanimei. Sabe quando você precisa apertar o STOP para repensar se aquilo que você está fazendo faz sentido? Então, tipo isso.

Faz sentido. O que eu estou fazendo e com o que eu estou sonhando. Faz sentido.

Fazer sentido não é racionalidade demais, é só necessário mesmo. Imagine entrar no mar nadando para o vazio na CERTEZA de que não há nada lá. Você vai se afogar! Mas quando você sabe que encontrará no vazio lugar melhor que o litoral de onde saiu aí já faz sentido e você nada com mais força.

Estou tão satisfeita agora, precisava pôr isso pra fora e colocar as ideias no lugar. Obrigado aos leitores! E vocês já se sentiram meio perdidos ou reticentes em algo nas suas vidas?

<3