Comecei a estagiar há pouco tempo em um lugar muito acolhedor e bem estruturado. Tive sorte pois todo o processo foi tranquilo, desde a entrevista (que me fez ter orgulho do meu currículo pela 1ª vez) até o treinamento e a prática.

Ocorre que eu estava há muito tempo trabalhando em casa, pois sempre tive negócios próprios onde eu fazia tudo praticamente sozinha. Com isso demorei a me acostumar com a rotina do trabalho, acordar cedo de segunda a sexta, entrar e sair sempre na mesma hora, cumprir rituais e pedir orientação. Sendo SUPER SINCERA: Foi uma merda no começo. Fiquei me debatendo por dentro, pois eu saí do status CHEFE MASTER (pois eu tinha a minha empresa, por vezes era a que ganhava melhor em casa e além disso estava cuidando da casa, pois meu pai estava internado) para SUBORDINADA EM 1ª GRAU (pois eu era uma das mais novas na função e meu pai voltou pra casa e melhorou, voltando a assumir funções de “pai”, como pagar contas, fazer compras etc).

Por mais que eu tenha encerrado as empresas por decisão própria (adoro empreendedorismo, mas ainda não tinha me encontrado em um negócio) sempre tive uma personalidade forte e espírito de liderança. Digo isso sem nenhuma arrogância, eu apenas sempre gostei de estar a frente de tudo, de saber sobre tudo e de ser eu a pessoa a qual todos pediam orientação. Por isso mesmo levei um choque ao começar a trabalhar, pois agora eu que tinha que pedir ajuda.

Sofri um pouco, confesso. Mas #fikdik: Sempre que você achar que vai explodir por algo, seja por uma tristeza ou uma alegria, nunca se esqueça de que logo logo aquilo vai passar e você vai rir MUITO do jeito que se importou com aquilo antes. Aconteceu EXATAMENTE isso comigo. Eu ficava estressada, querendo fazer mil coisas ao mesmo tempo e tentando me sentir chefe de mim mesma para suprir aquele vazio que eu sentia, e com isso quase enlouqueci. Depois de várias conversas com meus pais e amigos sobre o assunto, comecei a entender como funciona isso de trabalhar pra outra pessoa e fui relaxando. Agora quando vejo alguém estressado olho e penso “Jesus, eu estava assim, que desnecessário”. SIM, DESNECESSÁRIO!

Falando com meus pais sobre o que me afligia eles me contaram que quando novos sempre achavam que nada funcionaria sem eles e por isso trabalhavam muito, se estressavam, descuidavam da saúde e esqueciam do tempo enquanto estavam dando o máximo de si pelo cargo. Acontece que eles adoeceram e se afastaram das respectivas repartições, e elas continuaram funcionando sem eles. Nunca do mesmo jeito, mas nada parou de funcionar por conta da saída deles. Isso em fez pensar muito.

O mundo não para porque você apertou o sinal e desceu dele. É como um bonde (é velho, eu sei, mas um bom exemplo), ele sai andando no ritmo dele, você sobe e desce quando quiser e ele nunca para, sempre anda no mesmo ritmo (no RJ NÃO, mas deveria ser assim ok). E digo isso porque a máquina estatal era o bonde, e meus pais eram os passageiros. Eles pegaram o bonde andando e quando desceram alguém subiu para ocupar o lugar deles. Isso me mostrou que ninguém é insubstituível ou essencial ao extremo. Ao constatar isso senti ainda mais falta de ter meu próprio negócio.

Nessa época os artigos da revista Administradores me ajudaram demais também. Gosto muito dos autores e dos textos, sempre diretos e focados na vida prática.

Enfim, depois do drama eu renasci das cinzas e hoje é como se nada tivesse acontecido. Agora que estou mais leve posso curtir mais o trabalho, além das amizades que fiz. Rio muito lendo as inciais de alguns processos, alguns advogados merecem prêmios, alguns são poetas e outros tem tino para romances. Curto mais ainda os irônicos! Se os juízes lessem mais iniciais seriam mais felizes, porém os processos demorariam mais.

Pena que nessas semanas eu fiquei super enrolada com horário e acabei me atropelando entre tempo livre desperdiçado e falta de tempo para o que era realmente importante. Com isso emagreci pouco (apenas 3 kg) e me afastei um pouco da minha rotina de exercícios. Também estava dormindo muito tarde e acordando muito cedo, o que me deixava bastante cansada.

Felizmente não engordei, mas fiquei meio lesa. Quando você está num ritmo super produtivo e do nada diminui muito a marcha você meio que esquece como fazer pra voltar a potência total, o que é bem ruim. Por conta disso lancei essa semana um desafio pra mim mesma, que será sair dos 92 kg (meu peso atual) para os  89 kg até quinta que vem (1 semana de prazo). Para isso voltarei a minha antiga rotina de caminhada todos os dias e dieta certinha, além de malhação (me matriculei na academia ontem)! Postarei tudo no instagram e twitter (@barbaradoblog) e farei alguns vlogs para postar ao final do desafio, junto com o resultado. Torçam por mim!

Vejam o que eu costumo papar:

Desafios assim são ótimos para dar um gás no emagrecimento. Adoro metas objetivas em prazo apertado pois fico motivada a conseguir aquilo e tudo fica mais fácil. Dizer que vai fazer academia e dieta até perder 40 kg é algo muito tenso, melhor falar que vai fazer isso até perder 2 kg em 1 semana, aí pronto, fica algo mais palpável. Além disso falar que quer perder 40 kg parece algum muito distante, mas de 2 kg em 2 kg você chega a menos 40 kg!

Quanto ao resto tudo está bem. Estou bem estável psicologicamente depois do turbilhão que relatei, que me fez mais consciente de como eu consigo ir do céu ao inferno em alguns dias. É bom ter consciência das nossas fraquezas para que possamos aprender a trabalhar com elas. Morri algumas vezes naqueles dias, mas hoje respiro 10 vezes antes de me estressar com qualquer coisa.

No momento estou lendo um livro super interessante, que é o Não faz sentido, do Felipe Neto. Comprei a versão digital para ler no celular e também a física, pois algumas partes empáticas demais, me vejo nelas e quero ter em mãos para fazer anotações e marcações. Aliás estou adorando ler no celular, é tão prático! Apesar disso não abro mão dos livros físicos, adoro cheiro de livro novo e poder fazer marcações!

Estou curtindo muito me arrumar para trabalhar e lidar com pessoas diferentes a todo momento. É uma experiência diferente e espero conseguir extrair o melhor dela!

Também adquiri algumas coisas legais nos últimos tempos, vejam algumas:

Esse post foi bem blog pessoal. Estava com saudade disso, gosto de contar minhas coisas e ler sobre a rotina e problemas dos outros, sempre acabo aprendendo algo e tirando alguma lição para aplicar na minha vida.